13 de mai de 2010

Abolição ainda que tardia...


NAVIO NEGREIRO (texto integral)
Castro Alves

(...) 

Existe um povo que a bandeira empresta
P'ra cobrir tanta infâmia e cobardia!...
E deixa-a transformar-se nessa festa
Em manto impuro de bacante fria!...
Meu Deus! meu Deus! mas que bandeira é esta,
Que impudente na gávea tripudia?
Silêncio.  Musa... chora, e chora tanto
Que o pavilhão se lave no teu pranto! ...  

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário