19 de dez de 2009



Série “ Cinco daguerreótipos de dois Nacnenucks (Botocudos) do acervo da Coleção Jacquart, guardada na Photothèque do Museu do Homem, em Paris - 1844. Os daguerreótipos foram feitos em Paris, para onde os índios foram levados. Nessa época os Botocudos do Leste mineiro, em guerra contra o Império, eram considerados um inimigo perigoso a ser eliminado.
Os índios conseguiram, à sua maneira e com seu corpo, contar sua  história sem palavras.

Que em 2010 os desejos nos guiem! Sim, eu posso !!!

"Em termos bíblicos, parece que estão nos oferecendo 30 peças de prata para trair o nosso povo. Nosso futuro não está à venda. Lamento informá-lo de que Tuvalu não pode aceitar este documento", disse o representante do pequeno país insular ao recusar o documento sobre o clima proposto na conferência de Copenhagen.




Tuvalu: país ameaçado pelo aumento do nível do mar.


18 de dezembro de 2009. Para mim a conferência sobre o clima foi francamente vitoriosa e é desconstruindo com a ação o discurso hegemônico que conseguiremos construir uma outra narrativa, para além da ficção globalitária, desenvolvimentista, tecnológica, patriótica, nacionalista, estatal , de partidos, enfim, de todas as vozes do capital que em coro decidem nossos destinos e nos colocam em rota de colisão com o futuro.

O mundo não pertence às empresas que nos destroem sob a bandeira de nações que apenas são espectros de poderes muito pouco compartilhados e excessivamente opressivos.

A derrota de um acordo é a melhor coisa que poderia ter acontecido, pois desmascara o falso da proposta dos dois maiores responsáveis pela catástrofe: China e EUA, gafanhotos vorazes a tirar do planeta o que podem na sua ânsia de produzir lixo.

Os próximos anos devem ser de muita ação e gloriosamente, os militantes, os que lutam, voltam a aparecer em massa, em Copenhagen e aqui, desafinando o coro dos contentes, gritando, raça anã de humanos, corpo frágil e minúsculo contra Cila e Caríbde,

Esse é o tempo da desobediência civil, do movimento crescente das maiorias, das grandes marchas em defesa da vida. Só assim nos salvaremos e poderemos "plantar e produzir nova cultura". Acredito que o reino da necessidade não prevalecerá sobre o reino da liberdade. Descobrimos que temos muito mais do que precisamos. Repartir é que é o problema. Repartir o conhecimento, a comida, a energia, os recursos, a fé, a esperança.

De Tuvalu para o mundo: a nova ordem começa em cada um para depois ser construída por todos. É uma questão de desejo.

Que em 2010 os desejos nos guiem! Sim, eu posso !!!