2 de abr de 2011

GERALDO VANDRÉ

Pra não dizer que não falei de flores
Geraldo Vandré, no III Festival Internacional da Canção, 1968
O Jornal Brasil de Fato, edição nº 421, trouxe uma matéria impressionante nesta semana que incluiu o 31 de março  e o deputado Bolsonaro em cena aberta, fazendo o capitão do mato, seu personagem principal, a mostrar que os responsáveis pelo terror dos anos de chumbo estão bem ativos e, o pior, impunes.
Trata-se da reportagem Por que sumiram as imagens de Vandré? Nela descobrimos que não existem mais imagens gravadas do artista cantando Pra não dizer que não falei de flores, musica-hino da luta contra a ditadura. Sua apresentação, acompanhada por um coro de milhares de vozes, emocionou o III Festival Internacional da Canção, para desespero e ódio dos militares. 
Nenhuma TV guarda mais essas imagens, certamente deletadas dos arquivos da Globo e das outras emissoras por ordens direta do governo Médici.
Geraldo Vandré, conhecido por suas canções engajadas, foi preso, exilado e voltou ao Brasil em 1973, quando protagonizou uma controvertida entrevista na qual parece ter sido forçado a dizer que nada tinha contra os militares. Geraldo Vandré, hoje aos 75 anos, descobriu que não tem mais imagens gravadas de nenhuma de suas apresentações. Aliás, fruto do descaso  ou da repressão, poucas imagens da década de 60 restam nos arquivos das TVs brasileiras. Enquanto isso, disputamos no presente o direito à memória, antes que apaguem outros registros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário