25 de jan de 2010

Cores do sertão

A luz transforma a cor em atração aos sentidos:.
impressão, sertão, imaginação.
Rio correndo
chuva, chuva.
Vôos de garças, gavião,
morros, longes, espaços que pegam a conversar com a alma do capiau,
E ele, bom de ouvido e de memória, guarda histórias  que gosta de contar em beira de fogo,
em rodas de café.
Verdade? Diz que foi...
E assim, de causo em caso ,
prossegue sertão.
Espantos e quebrantos
Cerrado, morada da mãe das águas e dos manancias,
Explode em cores e flores cumprindo o ciclo da vida:
o tempo é serpente que engole o próprio  rabo.

(Fotos: Margareth Franklin - janeiro 2010.
Cordisburgo - MG)



Um comentário: